A Cemig anuncia um projeto para desenvolver, testar e preparar a industrialização e comercialização do Bess Móvel. Trata-se de uma solução inovadora de armazenamento de energia, com baixo impacto ambiental, que utiliza sistemas modulares e móveis. Os produtos permitirão a substituição de geradores à diesel, resultando na redução das emissões de gases do efeito estufa.

Pioneiro no Brasil, o Bess Móvel foi criado em parceria com o Instituto de Tecnologia Edson Mororó (ITEMM), integra o projeto de P&D – (D0674), promovido pelo Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Aneel e selecionado no Desafio Cemig de Inovação do PDI 2.0.

Versatilidade do Bess Móvel

Além da promessa de reduzir substancialmente a emissão de gases do efeito estufa (CO2) lançados na atmosfera, a solução modular poderá entregar mais flexibilidade operacional, minimizar as interrupções emergenciais e recompor de forma imediata o abastecimento em caso de manutenções programadas. Em outras palavras, o Bess Móvel será extremamente importante em locais onde a queda de energia pode ser comprometedora, como, por exemplo, os hospitais.

As características da tecnologia incluem mobilidade, mais segurança nas operações de distribuição e ampliação de sua utilidade. Inclusive, vale ressaltar que a sua flexibilidade será igualmente benéfica nos setores da indústria, comércio, transporte e infraestrutura. E não só isso: a tecnologia também foi projetada para aprimorar ainda mais a qualidade do serviço oferecido aos consumidores.

Cemig na vanguarda

Na avaliação do diretor de P&D, Inovação e Transformação, Maurício Dall’Agnese, este projeto permite que a Cemig dê prosseguimento ao desenvolvimento de soluções inovadoras de armazenamento e implantação de tecnologias a fim de melhorar a experiência dos consumidores. “Já fomos pioneiros na implantação de bancos de baterias na rede de distribuição, e agora seremos pioneiros no desenvolvimento de baterias que possam ser instaladas rapidamente para atender ocorrências planejadas e não planejadas”, avalia.

Já o pesquisador técnico do projeto, o engenheiro Franz de Cassias Strobel, ressalta que o uso de sistemas de armazenamento a baterias vem se consolidando como uma das principais alternativas para gerir e viabilizar o sistema elétrico atual com suas inúmeras conexões de gerações distribuídas e cargas de variadas complexidades. “Adicionar mobilidade a estes sistemas de armazenamento é uma novidade no cenário nacional e amplia ainda mais as possibilidades de uso. Isso possibilita que se movam pelo sistema elétrico e sejam instalados em locais onde há desafios a serem superados”.

Soluções em armazenamento

Recentemente, as operações da planta piloto do Sistemas de Armazenamento de Energia por Baterias (SAEBs) foram iniciadas dentro do campus da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A tecnologia desenvolvida pela Cemig e parceiros utiliza baterias para armazenar energia e devolvê-la para a rede elétrica. 

Nosso Programa de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação – PDI obedece à
regulação da ANEEL e suas resoluções posteriores.

(Lei nº 9.991, de julho de 2000)